Hora de Momentos

sábado, 24 de abril de 2010

Amigo do papai


Este conto foi tirado do site http://www.contosfemininos.com.br/site/

Erá férias de janeiro, eu fui com minha familia passar o feriado de ano novo na praia como sempre fizemos em todos os anos, no dia 31 de dezembro chegou um casal muito simpático convidados pelo papai, onde um senhor bem alto, forte, com um porte atlético aparentava ter seus 40 anos e a moça que o acompanhava um pouco mais nova formando ambos um casal simpático e bonitos. A festa de ano novo foi uma delicia todos se divertiram muito e no dia seguinte desfrutamos da piscina. Foi ai que percebi que o amigo do papai não tirava os olhos de mim me deixando por sinal meio sem jeito pois aquilo me incomodava e me excitava ao mesmo tempo, e o pior foi que ele começou a puxar conversa comigo e eu tentava disfarçar para que ninguém percebesse nada. Mais não adiantou muito pois ele estava meio alto e insistia cada vez mais e fui salva pela chegada da sua esposa que o acompanhava. Me distanciei de sua presença deixando aquele homem me comer com os seus olhos e admito que essa não erá minha intenção uma vez que já tinha ouvidos galanteios e elogios daquele macho. Já no dia seguinte todos tinham ido embora inclusive meus pais que trabalhariam já no dia seguinte. Eu fiquei sozinha na casa para curtir um pouco minhas férias da faculdade. Dois dias depois o segurança do condominio interfonou me dizendo que havia um senhor na portaria que havia passado o final de semana em nossa casa e que queria entrar para ver se tinha deixado uma carteira esquecida por lá. Não me veio outra pessoa na minha cabeça e então eu perguntei o nome do senhor e erá realmente ele. Permiti sua entrada e ao encontra-lo ele veio com a desculpa da carteira, mais eu sabia o que ele queria. Eu que estava de biquini pois fazia um calor danado apenas coloquei uma camiseta e meus olhos me denunciaram e ele logo notou que eu tinha gostado de vê-ló ali novamente com aquele jeito de homem muito charmoso e com suas mãos enormes. O convidei para um drink e começamos a conversar na sala, onde já a certa altura também ele reclamou do calor e arrancou espontaneamente sua camisa e assim pude observar o quanto ele era forte. Foi difícil mais me segurei e papo vai papo vem ele disse que me achava linda e que desde a primeira vez que me viu me desejou muito. Eu fiquei sem graça e mudei de assunto mais ele se levantou, sentou-se do meu lado e disse: Eu sei que vc também me quer e me deu um beijo na boca delicioso. Eu fiquei largada em seus braços fortes, ele me beijou a nuca o pescoço, tirou minha camiseta e soltando os lacinhos da parte de cima de meu biquini começou a sugar meus seios por sinal já durinhos de tesão. Ele apalpava minha bunda apertava meus seios e chupava gostosamente, até que a certa altura enfiou a mão dentro do meu biquini e começou a acariciar minha xaninha já encharcada e molhada sentia seu dedo passear sobre os lábios. Procurou meu grelinho e começou a me masturbar. Eu já estava molhadinha, ele então me pois sentada no sofa de pernas abertas e arrancou de vez meu biquini caindo de boca na minha buceta molhada. Me chupava muito e eu delirava de prazer, lambia minha xaninha, mordiscava meu grelinho, a cada chupada um delírio só. A certa altura ele se levantou, tirou os sapatos, as meias, a calça e a cueca. Me disse: Agora e a minha vez vem cá vem, e se sentou no sofa me puxando pelos cabelos me oferecendo aquela pica enorme grossa e dura. Eu não tive duvida, cai de boca e chupei aquele pau com fervor, passeava a lingua na cabecinha, lambia o saco e engolia as bolas, voltava a chupar o pau enfim me deliciando. Ele me puxou novamente para si: Agora vamos para o seu quarto, que eu quero você todinha. Eu o beijei e sussurei em seu ouvido: Sou todinha sua meu macho. O cara me beijou novamente me pegou no colo e me levou para a cama mais próxima, acariciou novamente minha xaninha e se deitou por cima de mim pincelando seu pau na entrada da minha bucetinha que já estava em chamas. Começou a introduzir seu enorme pau em mim, e eu gemia e aos poucos via aquele delicioso pedaço de carne me invadir fazendo minhas mãos agarrarem lençóis de tanto prazer. Ele dizia: Relaxa que o amiguinho do papai vai te comer deliciosamente e você vai adorar. Seu safado gostoso, seu tarado, come, come a sua putinha come, come que eu gosto demais...Eu já sabia que a sua carinha não negava isso sua safada. Adora levar pau né cachorrinha tesuda. Levei uma estocada forte e meu corpo por alguns segundos tentou fugir ao qual fui segurada e colocada de quatro sobre a cama levando um forte e provocante tapa na bunda fazendo com que eu rebolasse de provocação. Foi assim que eu ganhei a primeira vara no meu rabinho, onde se via a expressão daquele homem maduro devorando sua amante como um louco. Eu agora erá a sua outra, a amante, a safada, a filha putinha do seu melhor amigo e percebendo uma aceleração de seus movimentos fui agarrada pelos quadris e puxada contra o corpo dele comecei a sentir jatos e mais jatos de porra me invadirem por completa fazendo nóis dois gritarmos de prazer e caírmos exaustos de tesão sobre a cama. Foram férias deliciosas e aproveitei cada segundo e dia pois o amigo do papai não se cansava de procurar a carteira e até o segurança do condomínio percebeu o que estaria acontecendo entre a gente..

2 comentários:

Fernando Ramos disse...

Gostei da história, achei um tesão o fetiche. Mas não está bem escrito, não. =) =/

Beijocas, linda!

Simplesmente... Chiara disse...

Gostei do conto.
Mas concordo com o Fernando.
E confesso que fiquei com Tesão.